O QUE É O PROGRAMA?

É uma iniciativa do Fundo Baobá, com o apoio da Kellogg Foundation,  Ford Foundation, Instituto Ibirapitanga e Open Society Foundations. Com início em 2019 e término previsto para 2023, o Programa busca ampliar e consolidar a participação de mulheres negras em posições de poder e influência, através de investimento em seus planos de desenvolvimento individual, formações políticas e técnicas e ainda no fortalecimento das organizações, grupos, coletivos liderados por elas.

OS BENEFÍCIOS DO PROGRAMA

Investimento financeiro para o desenvolvimento individual e organizacional .

Oficinas para o enfrentamento dos efeitos psicossociais do racismo

Percursos formativos para fortalecer, do ponto de vista político, o exercício de liderança.

Coach individual e organizacional.

INDICADORES DO PROGRAMA

59

Lideranças apoiadas

14

Organizações, grupos ou coletivos apoiados

890

Atendimentos às selecionadas

4Mi

Investidos diretamente

1ª EDIÇÃO DO PROGRAMA

O Programa foi lançado em 02 de setembro de 2019. As selecionadas souberam dos resultados aos 10 de dezembro de 2019. As atividades tiveram inicio em fevereiro de 2020 e seguiram até julho de 2021. Considerando o fato de as organizações, grupos, e coletivas selecionadas terem, em média, 10 membros ativos, as selecionadas via edital de apoio coletivo e aquelas que chegaram via edital de apoio individual, cerca de 200 mulheres foram diretamente impactadas na primeira edição do Programa.

Em ambos os editais as mulheres negras apoiadas declararam ter vivido mudanças no âmbito pessoal, bem como promovido mudanças nas instituições onde atuam como líderes ou não. A ação em rede, o estabelecimento de parcerias, também foram pontos comuns bem como a ocupação de novos lugares na cena política, comunitária, acadêmica, institucional. 

Além do apoio financeiro concedido individualmente ou coletivamente, foram implementadas diferentes atividades formativas e de articulação facilitadas pela Ong Criola e pelo Instituto Amma Psique e Negritude. Com a Criola foram 14 encontros, com duração de 3 horas cada, de abril a novembro de 2020, e que versaram sobre racismo, sexismo, lesbo e transfobia, políticas públicas e controle social, liderança feminina negra, segurança ativista. Cada um desses encontros teve público médio de 90 pessoas. Já o Amma trabalhou o enfrentamento aos efeitos psicossociais do racismo e sexismo.

Foram 5 encontros, em pequenos grupos compostos por até 20 pessoas. No caso das mulheres negras apoiadas via edital de individual, foram também oferecidas sessões de coach individual enquanto para as organizações, grupos e coletivos, logo no início do Programa, foram ofertadas sessões de coach institucional e assessoria técnica para revisão do plano de ação, indicadores e metas.

Abaixo confiram alguns dos indicadores de sucesso alcançados na primeira edição do Programa. 

INDICADORES DA PRIMEIRA EDIÇÃO

EDITAL DE APOIO INDIVIDUAL

Ao final dos 5 anos de Programa espera-se ter lideranças femininas negras fortalecidas em suas capacidades técnicas e políticas e atuando em frentes diversas num movimento pro-equidade racial e de gênero. Na primeira edição os estados do Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe) concentraram o maior número de apoiadas: 26, das 59 que chegaram ao final. 

Elas atuavam nas áreas de Arte e Cultura; Ciência e Tecnologia; Comunicação; Desenvolvimento Humano; Desenvolvimento Sustentável; Direitos da População Jovem; Direitos da População Quilombolas; Direitos das Mulheres; Direitos Humanos; Educação; Empreendedorismo e Saúde, eram mulheres cis, trans, residentes na zona urbana e rural, com idade variando entre 22 e 69 anos. Elas eram diversas não apenas em relação ao local de residência, identidade de gênero, idade e área de atuação; 2% das mulheres apoiadas tinha ensino fundamental; 13% ensino médio; 7% ensino técnico e 78% ensino superior. 

Entre as apoiadas com ensino superior, 46% tinham Graduação, 20% Especialização ou MBA, 30% possuía Mestrado, 2% Doutorado e 2%, Pós-doutorado. A imensa maioria (92%) dedicou os recursos do Programa para a ampliação de suas competências técnicas (estudos), aquisição de equipamentos (76%), insumos materiais (61%), saúde mental (56%) e custeio de despesas pessoais (46%). Além disso os recursos foram utilizados para a realização de ações comunitárias, atividades com publico diverso, entre outras. Os resultados observados ao final dos 18 meses de projeto podem ser conferidos abaixo.

EDITAL DE APOIO COLETIVO

Ao final dos 5 anos de Programa espera-se ter organizações, coletivas, grupos de mulheres fortalecidos em suas capacidades, atuando em rede e potencializando a liderança de mulheres negras. Na primeira edição os apoios também se concentraram na regiao Nordeste: 9 em um total de 14 organizações. Com um tempo de atuação que varia de 3 a 30 anos, estes grupos, coletivos e organizações estão nas áreas de comunicação, educação, arte, cultura e lazer mas, prioritariamente na promoção e proteção aos direitos das mulheres. 

Várias das organizações, grupos e coletivos e lideranças reconheceram que, ao ter suas habilidades e competências desenvolvidas e capacidades ampliadas, puderam alcançar melhor performance, se estabelecer como referência em seus territórios, ocupar espaços estratégicos e engajar novos parceiros. As novas parcerias envolviam ações politico-institucionais, financiamento de ações programaticas e também ações para o fortalecimento institucional ou para garantir o seu funcionamento, situação pouco comum no inicio do projeto. O contexto pandêmico exigiu respostas às demandas emergenciais do campo. Com base na auto-avaliação das organizações, grupos e coletivos apoiados, ter recursos que lhes permitiu construir capacidades essenciais diretamente relacionadas ao cumprimento de sua missão, mas nunca antes priorizadas, foi o grande diferencial do Programa. 

Apesar de terem destacado que ainda segue sendo desafios a definição de papéis e divisão de atribuições e responsabilidades; mobilização e cor-responsabilização da membresia; mobilização e engajamento de parceiros não tradicionais; comunicação estratégica; planejamento de curto, médio e longo prazos; gerenciamento orçamentário-financeiro; tomada de decisão baseada em evidencias e em tempo oportuno, bem como a segurança das membras, não deixam de reiterar o quanto já evoluíram. Outros resultados observados ao final dos 18 meses de projeto podem ser conferidos aqui abaixo.

ENTREVISTAS E MATÉRIAS

PODCAST

Mariana
Renata
Aline
Daiane
Helen
Karen
Laiara
Luciane
Patricia
Wemmia

DEPOIMENTOS

NA MÍDIA

MARIANA

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nulla ut diam vehicula, feugiat ex et, porttitor quam.

RENATA

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nulla ut diam vehicula, feugiat ex et, porttitor quam.

ALINE

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nulla ut diam vehicula, feugiat ex et, porttitor quam.

DAIANE

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nulla ut diam vehicula, feugiat ex et, porttitor quam.

HELEN

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nulla ut diam vehicula, feugiat ex et, porttitor quam.

ÁREA EXCLUSIVA PARA PARTICIPANTES DO EDITAL

KAREN

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nulla ut diam vehicula, feugiat ex et, porttitor quam.

LAIARA

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nulla ut diam vehicula, feugiat ex et, porttitor quam.

LUCIANE

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nulla ut diam vehicula, feugiat ex et, porttitor quam.

PATRÍCIA

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nulla ut diam vehicula, feugiat ex et, porttitor quam.

WEMMIA

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Nulla ut diam vehicula, feugiat ex et, porttitor quam.

realização

Logo - Fundo Baobá para Equidade Racial

Apoio