O Empreendedorismo como Caminho da Dignidade na Vida de Pessoas Negras LGBTQIA+

Por Ingrid Ferreira

No dia 28 de junho comemora-se uma data de extrema importância para que a sociedade seja democrática e trate com respeito às especificidades de cada ser humano: o Dia do Orgulho LGBTQIA+. Apesar de ter um dia dedicado, às comemorações se estendem pelo mês todo, o evento mais conhecido e com maior número de frequentadores é a Parada LGBTQIA+ de São Paulo.

O Fundo Baobá,um fundo voltado exclusivamente para apoiar iniciativas de promoção da equidade racial para pessoas negras, reconhece as intersecções entre raça, gênero, território e sexualidades. No Brasil e em outros países onde existe racismo, pessoas pretas LGBTQIA+ enfrentam desafios ainda mais complexos para viver com dignidade, respeito e com seus direitos efetivados.

O intuito do Fundo é contribuir para que  as pessoas negras cuja identidades de gênero não são heteronormativas  estejam próximas e acessem as oportunidades que a instituição oferece seja no campo da educação, comunicação e memória, saúde, enfrentamento à todas as formas de violência, empreendedorismo. 

Em um país onde as oportunidades de trabalho, emprego e renda são escassas, o número de pessoas negras que empreendem em busca de  autonomia financeira cresce todos os dias. 

Como afirma Akuenda Translésbicha, dona da Erzulie Igbalê, apoiada pelo Fundo Baobá no edital Negros, Negócios e Alimentação – Recife e Região Metropolitana: “Eu já vendi várias coisas de diferentes ramos, gêneros e serviços, mas comida é algo que até na guerra conseguimos fazer dinheiro, pois é uma necessidade vital, foi base da colonização e base da economia, está na história de libertação do nosso povo e também é uma forma de consolidar expressões culturais e cosmovisões. Meu negócio entendeu a alimentação como um campo estratégico para propagar uma vivência radical e dissidente, provocando afirmação política, isso faz o diferencial na nossa cozinha.”. 

Akuenda Translésbicha, proprietária do empreendimento Erzulie Lgbalê – Recife- PE

Akuenda também fala sobre a sensação de ter seu empreendimento selecionado em um edital do Fundo Baobá: “Senti que meu negócio é reconhecido por especialistas e que foi avaliado com potencialidade de prosperar, além de que ter outras pessoas acreditando nele, o que me motiva e me faz olhar pra trás e perceber o início dificultoso, mas me sentir recompensada pelo trabalho feito até aqui. Quero sentir essa mesma sensação no futuro, para continuar nesse movimento de construção, alimentando possibilidades de mudança social e pessoal para além das dificuldades com sabor de revolta”.

O donatário Aleff Souza, dono do empreendimento Delícias do Alleff, selecionado também no edital Negros, Negócios e Alimentação – Recife e Região Metropolitana também falou um pouco sobre a sua experiência como empreendedor: “Como dono do meu próprio negócio nesses anos eu não tive nenhum problema referente a discriminação, além de livre me sinto realizado e privilegiado por criar uma rede de contatos que me respeita. Diferente dos meus empregos anteriores,  onde sofri situações de racismo e homofobia. Isso também foi um ponto crucial na decisão de trabalhar pra mim mesmo, pra não ter que passar por certas situações traumatizantes”.

Aleff Souza, proprietário do empreendimento Delícias do Alleff – Recife- PE

Aleff fala como participar do edital tem fortalecido as suas potencialidades emocionais e de sua equipe: “Sem sombra de dúvidas, fazer parte desse edital me fez enxergar o quão  bom eu e minha equipe somos no que exercemos. E sendo um negro, de periferia e homossexual,  me sinto fortalecido estando à frente de um negócio, onde nenhum tipo de racismo ou discriminação é tolerado e na medida em que for crescendo, será um espaço onde todos, todas e todes terão oportunidades de exercerem suas funções e reafirmarem suas identidades sem nenhuma restrição”.

As falas de Akuenda e Aleff provam como empreender pode significar criar um ambiente de trabalho mais digno para pessoas LGBTQIA+ negras. Além de conversar com a donatária e o donatário, o Baobá também conversou com o Flip Couto,  que é um homem negro, gay, produtor cultural e engajado tanto nas pautas do movimento LGBTQIA+ quanto nas pautas raciais, e há pouco tempo colaborou na organização de um evento do Programa Já É: Educação e Equidade Racial.

Flip Couto – Produtor, ativista, artista e militante do movimento negro e LGBTQIAP+ – SP

Ao ser questionado se ele dentro das suas particularidades se sente representado pelo Fundo Baobá, Flip diz que: “Desde que conheci o Fundo Baobá em 2017 através dos editais, eu sempre olhei a organização com admiração pela coerência entre seus projetos e seus fundamentos. Através do movimento pró saúde da população negra, eu me aproximei de Fernanda Lopes (Diretora de Programa do Fundo Baobá) e em 2020 tive a oportunidade de colaborar com o Projeto Já É. Esse processo me fez conhecer as pessoas geniais que semeiam as ações do Fundo Baobá e entendi o diferencial na forma cuidadosa,  trazendo olhares amplos em suas ações; além de todo o legado em colaboração com importantes nomes do ativismo negro no Brasil.”

Também foi perguntado a Flip como ele acha que o Fundo Baobá pode ter mais visibilidade entre a população negra LGBTQIA+, e ele respondeu o seguinte: “Infelizmente,  pessoas negras LGBTQIAP+ seguem com poucas referências de pertencimento, pois durante décadas nossas histórias foram apagadas e silenciadas. Criar encruzilhadas entre a orientação sexual, diversidade de gênero e negritudes nos abre um leque de possibilidades de diálogo. E penso que é nessas aberturas de diálogo que o Fundo Baobá pode gerar mais visibilidade e aproximações com pessoas negras LGBTQIAP+ de diferentes gerações e esse é um importante processo de equidade racial, pois nos faz refletir sobre a pluralidade dentro de nossa comunidade negra.”

Flip também comentou que como produtor, ativista e artista, o Fundo Baobá é uma grande referência para ele por mostrar possibilidades de fortalecimento da comunidade sem se distanciar de suas bases.

Fundo Baobá divulga lista final do edital Negros, Negócios e Alimentação com surpresa no número de empreendimentos escolhidos

Edital selecionaria 12 iniciativas gastronômicas. Direção do Fundo decidiu aumentar o número para 14, ampliando ainda mais o apoio aos empreendedores (as) 

                                   Por  Wagner Prado

O dia tão esperado chegou. O Fundo Baobá para Equidade Racial divulga hoje, 31 de março, a lista de 14 empreendimentos agraciados, cada um, com um aporte de R$ 30 mil destinado pelo edital Negros, Negócios e Alimentação. Voltado para empreendedores negres, negros e negras do segmento da gastronomia, o edital foi lançado em novembro de 2021, dirigido especificamente para Recife e Grande Recife. O apoio financeiro irá auxiliar  na recuperação econômica e/ou aceleração desses negócios, nas suas mais diferentes formas: buffets, comida por encomenda, comida delivery, barracas em pontos fixos ou volantes, docerias, restaurantes e outras.  

 

Quando do lançamento do edital, em novembro de 2021, estava previsto que 12 empreendimentos seriam escolhidos. Porém, o Fundo Baobá decidiu ampliar o número para 14. “Estamos bem felizes  com esta possibilidade de agregar recursos próprios ao edital. É o Baobá fazendo o que deve ser feito. Sendo estratégico e consonante com as necessidades e expectativas do campo nos seus investimentos”, afirmou Fernanda Lopes, diretora de Programa do Fundo Baobá.

 

 O Fundo Baobá tem como parceira nesta iniciativa a empresa alimentícia General Mills. O edital Negros, Negócios e Alimentação integra o Programa de Resiliência, Recuperação Econômica e Equidade Racial, lançado no contexto da pandemia da Covid-19. Nano, micro e pequenos negócios das seguintes cidades: Recife, Abreu de Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Ilha de Itamaracá, Ipojuca, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista e São Lourenço puderam se inscrever.

 

O edital contou com três etapas seletivas. Na última etapa, uma comissão formada pela chef e empreendedora no segmento gastronômico Priscilla Novaes; pelo gestor de projetos sociais da Aliança Empreendedora,  Ariel Pascke; pelo diretor executivo do Instituto C&A, Gustavo Narciso; pelo historiador com pós-graduação em Política e Gestão Cultural, Lindivaldo Leite Júnior e pelo engenheiro, proprietário e diretor de uma empresa de consultoria focada em gestão de investimento verde e sustentável, com e sem alocação de capital, Marco Antonio Fujihara, esteve responsável por fazer a análise das propostas e posterior escolha dos finalistas. Lindivaldo Júnior e Marco Antonio Fujihara representaram os órgãos de governança do Fundo Baobá. 

 

O trabalho da comissão foi gratificante, mas também árduo. Para a chef Priscilla Novaes, que comanda em São Paulo o restaurante Kitanda das Minas, os empreendimentos inscritos tinham um ponto em comum: “Todos os negócios são bons. Mas identifiquei o domínio do empreendedor sobre seu próprio negócio. Esse aspecto de dominar o negócio e saber o que é preciso nele. Também identifiquei aqueles que se interessaram pela formação. Todo aspecto formativo é importante. Os momentos em que meu negócio conseguiu se desenvolver foi quando tive apoio não apenas financeiro, mas apoio na gestão, apoio no maketing”, afirmou.

 

Para o historiador Lindivaldo Leite Junior, de Recife, fazer parte de uma comissão julgadora sempre traz um desafio: “Participar de comissões de avaliação é sempre um desafio, é uma responsabilidade muito grande. Porque você está, de alguma forma, julgando os trabalhos de gente que tem uma batalha cotidiana para organizar. A gente se preocupa em não ser injusto,  já que, em tese, todos que acessaram o edital são merecedores do apoio. Mas nossa tarefa é escolher só alguns. De alguma forma,  tenho sempre satisfação em contribuir com o trabalho do Fundo Baobá e ajudar a manter sua missão, fortalecer seu compromisso com a inclusão racial”, disse. 

 

Ariel Pascke, gestor de projetos sociais, afirmou que a emoção também fez parte do critério de escolha: “Uma grande emoção e responsabilidade, pois chegaram até as minhas mãos iniciativas incríveis. Influenciar na decisão sobre quem seria contemplado pelo edital é se envolver com a história de cada uma das pessoas, negócios, famílias e suas respectivas comunidades. Foi um prazer fazer parte desta seleção. Agora,  estou curioso para saber os próximos passos destes empreendedores e sobre como será o futuro dos seus negócios. Parabéns pela iniciativa, Baobá”, comentou. 

 

Jornada Formativa

Definido o grupo, agora ampliado e composto por 14 empreendimentos, seus responsáveis iniciam uma jornada formativa introdutória, que terá quatro momentos: 1)  Reunião de orientações gerais;  b) Sessões relacionadas à gestão de negócios, com temas diversos; c) Oficina para elaboração do plano orçamentário e cronograma de execução; d) Oficina de orientações sobre como se preparar para prestar contas.  Para a jornada formativa introdutória é necessário que cada empreendedor reserve cerca de 15 (quinze) horas de dedicação. 

 

A lista com os 14 empreendimentos selecionados pode ser conferida AQUI

Fundo Baobá divulga lista de classificados na segunda etapa do edital Negros, Negócios e Alimentação

Lista traz 24 nomes de organizações que empreendem na área da gastronomia na região metropolitana de Recife

                                   Por  Wagner Prado

A tão aguardada lista final do edital Negros, Negócios e Alimentação será divulgada no dia 31 de março. Hoje, 10 de março, porém, o Fundo Baobá para Equidade Racial divulga a lista de 24 empreendimentos da área gastronômica, liderados por negros e negras,  atuantes na região metropolitana de Recife, território para o qual o edital está voltado.  

O edital Negros, Negócios e Alimentação foi criado pelo Fundo Baobá em novembro de 2021.  A proposta dele  é promover apoio financeiro que impulsione a recuperação econômica de negócios dirigidos ao segmento gastronômico em suas formas mais variadas, como bares, buffets, comida delivery, food trucks, docerias,  restaurantes e outras.  A lista final, que sairá em 31 de março, trará os 12 empreendimentos selecionados. Cada um deles receberá R$ 30 mil.   

Impulsionar a recuperação abrange algo ainda maior. Além do apoio financeiro, os proprietários e proprietárias responsáveis vão ser envolvidos em uma jornada de aprendizado para aprimorar os conhecimentos de gestão, planejamento, inovação e busca de parcerias.

O acesso a estes conteúdos vai se dar por meio de atividades formativas, mentorias e compartilhamento de experiências promovidas pelo Fundo Baobá e uma parceria apoiadora. As atividades formativas acontecerão durante a implementação do projeto, de maio a novembro. Nos meses de julho e dezembro vão ocorrer as atividades de compartilhamento de experiências.   

O edital Negros, Negócios e Alimentação é uma parceria entre o Fundo Baobá e a General Mills e integra o Programa de Resiliência, Recuperação Econômica e Equidade Racial lançado no contexto da pandemia da COVID-19. O edital surge para apoiar nano, micro e pequenos negócios de gastronomia da região metropolitana do Recife, que compreende as cidades de Abreu de Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Ilha de Itamaracá,  Ipojuca, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes,  Moreno, Olinda,  Paulista, Recife e São Lourenço da Mata. 

A pesquisa “O Impacto da Pandemia do Coronavírus nos Pequenos Negócios”, realizada pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas)  e FGV (Fundação Getúlio Vargas) em março/2021,  revelou, entre outros dados, que  79% desses estabelecimentos, em nível nacional, tiveram seu faturamento diminuído; 34% tinham dívidas e/ou empréstimos em atraso; 49% haviam buscado empréstimos em instituições bancárias tradicionais e 19% foram obrigados a promover demissões. Foram ouvidos 6.228 empresários em 26 estados brasileiros mais o Distrito Federal.

Se, para quem atua na formalidade o quadro estava complicado, para quem atua no mercado informal as dificuldades foram ainda mais gritantes. O edital Negros, Negócios e Alimentação dá oportunidade para empresas formalizadas (com CNPJ) e não formalizadas (sem CNPJ), que estejam atuando no mercado há,  no mínimo, três anos. 

Foram recebidas 60 inscrições. A primeira lista de classificados, divulgada em 8 de fevereiro, selecionou 46 empreendimentos. As propostas foram analisadas e entrevistas foram realizadas com todos os e as proponentes. A lista divulgada hoje, 10 de março, elege 24 empreendimentos. O projeto será novamente avaliado, agora por um comitê composto por membros dos órgãos de governança do Baobá e especialistas. A lista final será divulgada  em 31 de março,  com 12 empreendimentos que serão apoiados. 

Acesse aqui a lista de classificados para a terceira fase.

Edital Negros, Negócios e Alimentação: Confira a lista com os classificados da primeira etapa 

O Fundo Baobá para Equidade Racial divulga hoje (terça, 08) a lista de propostas aprovadas para a 2a fase do processo seletivo do edital Negros, Negócios e Alimentação. O edital é específico para a região metropolitana de Recife e foi lançado na segunda quinzena de novembro de 2021, com apoio da General Mills. 

O objetivo do edital Negros, Negócios e Alimentação é promover a recuperação econômica de negócios voltados para o ramo da gastronomia e, ao mesmo tempo, fortalecer as e os proprietários negros ou negras em sua atuação. A sustentabilidade de um negócio depende de fatores como planejamento, gestão, inovação, parcerias e outros. Porém, para que isso seja atingido, também é necessário promover o saber dentro dessas áreas e não apenas prover o apoio financeiro.

No que tange à promoção do saber, as pessoas negras  responsaveis pelos 12 (doze) negócios selecionados após as 3 (três) etapas classificatórias, irão participar de atividades formativas, além de mentorias e trocas de experiências com outros empreendedores e especialistas do setor da alimentação e do comércio. Cada um dos projetos receberá R$ 30 mil. 

Este edital voltado para o desenvolvimento econômico se mostra necessário frente à crise econômica, agravada durante este período de pandemia da Covid-19 que impactou, de forma negativa e severa, os negócios de alimentação comandados por negros e negras na região metropolitana de Recife,  composta pelas seguintes cidades: Jaboatão dos Guararapes, Olinda Paulista, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Abreu de Lima, Ipojuca, São Lourenço da Mata, Igarassu, Moreno, Itapissuma, Ilha de Itamaracá e Araçoiaba.

Para que o edital fosse conhecido e para que houvesse maior adesão por empreendedoras e  empreendedores locais, além das ações de mobilização comunitária que estavam sendo realizadas nos territórios, uma missão do Fundo Baobá foi deslocada até Recife, onde permaneceu por cinco dias promovendo encontros com comerciantes locais que tinham dúvidas sobre a forma de participar do edital. Para mobilizar empreendedores e empreendedoras negros e negras, obter visibilidade na mídia com ampla divulgação do edital Negros, Negócios e Alimentação, o Fundo Baobá contou com apoio da Retruco, agência de jornalismo independente, idealizada por jovens jornalistas, cineastas  e designers de Pernambuco. Dúvidas dirimidas, foram recebidas 60 inscrições. Para a segunda etapa do processo seletivo foram classificadas 46 propostas. A lista pode ser acessada neste link

 

Perfil das Propostas

As propostas selecionadas estão concentradas em 8 dos 14 municípios da Grande Recife e envolvem, prioritariamente, negócios liderados por mulheres ou pessoas de gênero feminino (76,08%), com  escolaridade que varia do fundamental incompleto à pós-graduação. Os negócios estão mais na zona urbana (97,82%) e alguns funcionam desde a década de 1970.

 

Município dos projetos selecionados para a 2ª Fase do Edital:

  • Recife – 29 (63, 04%)
  • Olinda – 8 (17,39 %)
  • Paulista – 2 (4,34%)
  • São Lourenço da Mata – 2 (4,34%)
  • Ipojuca – 2 (4,34%)
  • Cabo de Santo Agostinho – 1 (2,17%)
  • Camaragibe – 1 (2,17%)
  • Jaboatão dos Guararapes – 1 (2,17%)

 

Atuação no ramo alimentício do(a) empreendedor(a)  selecionades para a 2ª Fase do Edital:

  • Bares – 3 (6,52%)
  • Buffet, comida para festas e outros eventos – 7 (15,21%)
  • Comida por encomenda ou para entrega (delivery) – 25 (54, 34%)
  • Food trucks – 1 (2,17%)
  • Restaurantes – 7 (15,21%)
  • Delivery e na feira de orgânicos – 1 (2,17%)
  • Tapiocaria itinerante – 1 (2,17%)
  • Doceria e delicatessen – 1 (2,17%)

 

Próximas listas classificatórias

Seguindo o que determina o cronograma do edital Negros, Negócios e Alimentação, a lista com os classificados na segunda etapa será divulgada no dia 10 de março de 2022 após as 19 horas. A lista final, por sua vez, sairá em 31 de março, também após as 19 horas

Para acompanhar todas as atualizações e novidades do Edital Negros, Negócios e Alimentação, clique aqui.

Inscrições para o edital Negros, Negócios e Alimentação serão encerradas nesta quinta-feira, 27 de janeiro

As inscrições do edital Negros, Negócios e Alimentação se encerram hoje, dia 27 de janeiro, às 17 horas. O edital é voltado para empreendedores (as) negros (as) do ramo da alimentação no Recife. Esta será a última oportunidade para que os empreendedores interessados possam se inscrever. O projeto do Fundo Baobá para Equidade Racial tem apoio da General Mills, empresa global de alimentos dona de marcas como Yoki, Kitano e Häagen-Dazs no país.

O edital foi lançado em novembro de 2021, com o intuito de contribuir para a recuperação econômica de negócios do ramo da gastronomia, voltado para os empreendedores e empreendedoras negros(as) e vai contribuir para a ampliação de suas capacidades de planejar, fazer gestão, inovar, ampliar ou estabelecer uma infraestrutura mínima para sustentabilidade de seus negócios.

Os inscritos devem ser empreendedores(as) negros(as) do setor gastronômico, com 18 anos ou mais, que tenham negócio instalado e em funcionamento há 3 anos ou mais, que trabalhem com alimentação de consumo imediato, como almoços, jantares, salgados, bolos, pratos típicos e regionais, dentre todas as opções de cardápio; empresários que trabalhem com  food truck, comida de rua e que sejam ambulantes também podem participar.

Os empreendimentos devem estar localizados no estado de Pernambuco, nas seguintes cidades: Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda,  Paulista, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Abreu de Lima, Ipojuca, São Lourenço da Mata, Igarassu, Moreno, Itapissuma, Ilha de Itamaracá e Araçoiaba. As propostas apresentadas por mulheres negras cis ou trans e de empreendedores(as) negros(as) que nunca foram apoiadas(os) pelo Fundo Baobá para Equidade Racial serão priorizadas.

Os selecionados receberão um aporte financeiro de R$ 30 mil, além de assessoria e suporte técnico, e terão 09 (nove) meses para executar os seus projetos  e apresentar a prestação de contas final.

Os interessados podem se inscrever através do link oficial do edital na página do Fundo Baobá, onde encontram-se os critérios de elegibilidade do programa. Ressaltando que a regra da obrigatoriedade de ter CNPJ foi retirada, como consta na matéria Fundo Baobá altera regras de edital de apoio a empreendedores negros da alimentação na Região Metropolitana do Recife.

Realizadores

Criado em 2011, o Fundo Baobá para Equidade Racial é o primeiro e único fundo dedicado, exclusivamente, para a promoção da equidade racial para a população negra no Brasil. Orientado pelos princípios de ética, transparência e gestão, mobiliza recursos financeiros e humanos, dentro e fora do país, e investe em iniciativas da sociedade civil negra para o enfrentamento ao racismo e promoção da justiça social.

A General Mills é uma empresa líder global em alimentos e trabalha “fazendo os alimentos que o mundo ama”. Com sede em Minneapolis, Minnesota, EUA, a companhia chegou ao Brasil em 1997. Em novembro de 2020, assumiu publicamente o compromisso de ser um instrumento importante de mudança promovendo iniciativas práticas para equidade racial. Ao reconhecer que o racismo deixa marcas todos os dias em diversas sociedades, há séculos, a empresa se mobiliza e busca contribuir para os avanços em políticas de inclusão e, sobretudo, de preservação da vida de pessoas negras.

Fundo Baobá altera regras de edital de apoio a empreendedores negros da alimentação na Região Metropolitana do Recife

Por Eduarda Nunes e Luane Ferraz

O Fundo Baobá, em parceria com a General Mills, comunica a alteração da regra da exigência de CNPJ ativo até 2019 para a validação da inscrição do empreendedor no edital “Negros, Negócios e Alimentação”. A mudança se dá devido aos avanços da Covid-19, influenza e Ômicron em Pernambuco e em todo o país e, por consequência, o agravamento da vulnerabilidade econômica para empreendoras negras  e empreendedores negros.

Com a mudança, qualquer pessoa negra que tenha um empreendimento, instalado e em funcionamento há 3 anos ou mais, na área de alimentação, gastronomia e culinária, no Recife e região metropolitana, seja de maneira formal ou informal,  torna-se apta para a seleção.

Além disso, entre os próximos dias 20 (19h às 21h), 21 (9h às 12h) e 24 (9h às 17h), as pessoas interessadas podem se dirigir ao Hotel Central (Av. Manoel Borba, 209 – Boa Vista) para tirar dúvidas e se inscrever com apoio da equipe executiva do Fundo Baobá.

Em função da pandemia, esta é a primeira atividade presencial da instituição  para divulgação de um edital,  desde setembro de 2019. Na estadia em Recife, a direção do Fundo Baobá se encontrará com lideranças locais e potenciais candidatos ao  edital vigente, além de pessoas e organizações que já foram apoiadas pelo Baobá em editais passados.

A visita marca também o retorno à cidade que foi o local de origem e a primeira sede do Fundo Baobá para Equidade Racial.

A iniciativa

Pensando em contribuir na recuperação econômica desses negócios e promover às empreendedoras e  empreendedores negros uma ampliação de suas capacidades de planejar e fazer gestão, esta iniciativa do Fundo Baobá, em parceria com a General Mills, vai apoiar 12 (doze) empreendimentos negros do ramo de alimentação de consumo imediato, instalados e em funcionamento há 3 anos ou mais na Região Metropolitana de Recife.

As empreendedoras e empreendedores selecionados receberão um aporte financeiro de R$ 30.000 (trinta mil reais), além de assessoria e suporte técnico. Terão 8 (oito) meses para executar os seus projetos  e 30 dias para apresentar a prestação de contas final. Ou seja, o projeto terá duração de 9 meses.

Serão priorizadas propostas que envolvam negócios da gastronomia negra, formalizados (com CNPJ) e aqueles situados em Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Cabo de Santo Agostinho e Camaragibe, dado que estas cidades concentram 90% dos negócios deste setor. Além de inscrições feitas por mulheres negras cis ou trans e de empreendedores(as) negros(as) que nunca foram apoiadas(os) pelo Fundo Baobá para Equidade Racial.

Para as pessoas negras que empreendem, o ramo alimentício está entre as 10 áreas de maior presença no mercado. Entretanto, com a crise econômica agravada pela pandemia da Covid-19, muitos pontos de venda fixos foram impactados negativamente, em especial os negócios formalizados (com CNPJ), cujos donos eram mulheres ou pessoas com idade entre 35 e 54 anos.

Inscrições

As inscrições para o edital Negros, Negócios e Alimentação estarão abertas até o próximo dia 27 às 17h. Pessoas interessadas devem preencher o formulário eletrônico disponível exclusivamente neste link.  

Vale lembrar que o processo de seleção contará com três etapas eliminatórias. O resultado final será divulgado no dia 31 de março de 2022, após as 19h, no site oficial do Fundo Baobá (baoba.org.br). 

Para entender melhor os critérios de elegibilidade do programa, basta acessar o edital através deste link

Fundo Baobá prorroga inscrições do edital Negros, Negócios e Alimentação, voltado a empreendedores negros do ramo da gastronomia no Recife

Edital vai apoiar com R$ 30 mil cada uma das 12 iniciativas que forem selecionadas. Inscrições reiniciam dia 06/01 e vão até 27/01

O Fundo Baobá para Equidade Racial, com o apoio da General Mills, anuncia a prorrogação das inscrições do edital Negros, Negócios e Alimentação, uma iniciativa que vai apoiar 12 (doze) empreendimentos negros do ramo da gastronomia de consumo imediato, formalmente instalados há 2 anos ou mais na Região Metropolitana de Recife.

Os interessados poderão se inscrever entre os dias  06 de janeiro e dia 27 do mesmo mês. Para entender melhor os critérios de elegibilidade do programa e se candidatar, basta acessar o edital através deste link.

As(os) empreendedores(as)  selecionadas(os) receberão um aporte financeiro de R$ 30.000 (trinta mil reais), além de assessoria e suporte técnico, e terão 09 (nove) meses para executar os seus projetos  e apresentar a prestação de contas final.

O edital é voltado para empreendedores(as) negros(as) do setor gastronômico, com 18 anos ou mais, que tenham negócio ativo e formalizado há mais de 2 anos (CNPJ aberto em 2019 ou antes), que trabalhem com alimentação de consumo imediato, como almoços, jantares, salgados, bolos, pratos típicos e regionais, dentre todas as opções de cardápio; empresários que trabalhem com  food truck, comida de rua e que sejam ambulantes, também podem participar.

Os negócios devem estar localizados no estado de Pernambuco nas seguintes cidades: Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda Paulista, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Abreu de Lima, Ipojuca, São Lourenço da Mata, Igarassu, Moreno, Itapissuma, Ilha de Itamaracá e Araçoiaba. Sendo que propostas apresentadas por mulheres negras cis ou trans e de empreendedores(as) negros(as) que nunca foram apoiadas(os) pelo Fundo Baobá para Equidade Racial serão priorizadas. 

A iniciativa

Para as pessoas negras que empreendem, o ramo gastronômico está entre as 10 áreas de maior presença no mercado. Entretanto, com a crise econômica agravada pela pandemia do COVID-19, muitos pontos de venda fixos foram impactados negativamente, em especial, os negócios cujos donos eram mulheres.

Pensando em contribuir para a recuperação econômica desses negócios e promover aos empreendedores e empreendedoras negros(as) a ampliação de suas capacidades de planejar, fazer gestão, inovar, ampliar ou estabelecer uma infraestrutura mínima para sustentabilidade de seus  negócios, o Fundo Baobá, com o apoio da General Mills, empresa global de alimentos dona de marcas como Yoki, Kitano e Häagen-Dazs no país, promove o edital Negros, Negócios e Alimentação.

O objetivo do projeto é criar condições para que os empreendedores escolhidos conheçam a fundo os seus negócios e as suas capacidades a fim de gerar um impacto positivo em toda a comunidade, a partir da expansão dos seus empreendimentos e para que sejam, num futuro próximo, geradores de novos empregos por meio da ampliação dos serviços, aumento das vendas e crescimento de antigas e novas relações de negócios. Além disso, a iniciativa tem o intuito de fortalecer e ampliar a sua jornada de diversidade e inclusão étnico-racial no Brasil. 

Realizadores

Criado em 2011, o Fundo Baobá para Equidade Racial é o primeiro e único fundo dedicado, exclusivamente, para a promoção da equidade racial para a população negra no Brasil. Orientado pelos princípios de ética, transparência e gestão, mobiliza recursos financeiros e humanos, dentro e fora do país, e investe em iniciativas da sociedade civil negra para o enfrentamento ao racismo e promoção da justiça social.

A General Mills é uma empresa líder global em alimentos e trabalha “fazendo os alimentos que o mundo ama”. Com sede em Minneapolis, Minnesota, EUA, a companhia chegou ao Brasil em 1997. Em novembro de 2020, assumiu publicamente o compromisso de ser um instrumento importante de mudança promovendo iniciativas práticas para equidade racial. Ao reconhecer que o racismo deixa marcas todos os dias em diversas sociedades, há séculos, a empresa se mobiliza e busca contribuir para os avanços em políticas de inclusão e, sobretudo, de preservação da vida de pessoas negras.

Serviço

O quê? Prorrogação das inscrições do edital Negros, Negócios e Alimentação

Período: 06 de janeiro a 27 de janeiro às 17h

Inscrições: https://baoba.org.br/edital-negros-negocios-e-alimentacao/ 

Público-alvo: empreendedoras(es) negras(os) da área de alimentação de pronto consumo da região metropolitana do Recife com registro formal até 2019.

General Mills é parceira do Baobá no edital Negros, Negócios e Alimentação

Região Metropolitana de Recife teve negócios na área de alimentação muito impactados. Edital surge para apoiar esses empreendedores e empreendedoras

Por Ingrid Ferreira 

A pandemia da Covid-19 trouxe muito mais do que uma crise sanitária, em 2020.   Na esteira dela, foi instalada uma crise financeira que abalou fortemente a população brasileira. Nano e pequenos(as)  empreendedores(as), em especial, presenciaram a forte queda em seus negócios e, nos piores casos, algumas e alguns enfrentaram a falência o que desestabilizou, além de suas famílias, as de seus colaboradores e colaboradoras.  Muito da cadeia econômica trabalha, neste momento, em busca da recuperação. 

Desde o início do período pandêmico, o Fundo Baobá para Equidade Racial  realizou cinco editais emergenciais visando  proporcionar um caminho de fortalecimento comunitário, reequilíbrio e reestruturação econômica. 

Em novembro, foi lançado o Edital Negros, Negócios e Alimentação, exclusivo para negócios localizados em Recife e em sua região metropolitana, do setor alimentação. As inscrições serão até 15 de dezembro. A instituição parceira do Fundo Baobá nesse edital é a General Mills, empresa do segmento alimentício. 

Em entrevista para o Fundo Baobá, a gerente sênior de Relações Externas da General Mills no Brasil, Patrícia Zebele, afirma que o edital foi  planejado considerando que o ramo alimentício está entre as dez áreas de maior presença no mercado entre as pessoas negras que empreendem. “Porém, com a crise econômica agravada pela pandemia da Covid-19, muitos pontos de venda fixos foram impactados negativamente, em especial, negócios cujos donos eram mulheres.”

Patrícia Zebele, Gerente sênior de Relações Externas da General Mills no Brasil

A General Mills tem representações nos cinco continentes, com presença em mais de 100 países, sendo responsável pelas marcas Yoki, Kitano,  Häagen-Dazs e Mais Vita. Patrícia Zebele explica que desde novembro do ano passado, a General Mills assumiu publicamente o compromisso de ser um instrumento importante de mudança, reforçando um quarto pilar em suas prioridades sociais: “Avançar e promover iniciativas para equidade racial e, por meio de ações afirmativas, criar oportunidades para o surgimento de lideranças negras e mais geração de renda e empregos”.

Além disso, Patrícia conta que o projeto no Brasil é pioneiro: “Nos Estados Unidos, assumimos o compromisso de dobrar o número de negros ocupando cargos de gerência; os gastos com fornecedores negros ou que façam parte de minorias, além de aumentar em 25% a representatividade de minorias internamente”. 

O Edital Negros, Negócios e Alimentação é pioneiro, mas já apresenta ótimos sinais. Ele tem como intuito financiar doze empreendimentos que contarão com o apoio financeiro de R$ 30 mil, além de assessoria e suporte técnico. Os empreendimentos selecionados terão o prazo de nove meses para realizar as ações propostas.

Ainda no campo de atividades para promoção da equidade racial, a gerente sênior de Relações Externas da General Mills afirmou que a empresa está em processo de conscientização e promoveu durante o mês de novembro, dedicado à Consciência Negra, uma série de eventos internos, que tem o intuito de educar, sensibilizar e gerar reflexões sobre o combate ao racismo no ambiente de trabalho e em situações diversas do dia a dia.

Patrícia também fala a respeito da parceria com o Fundo Baobá. “Acreditamos que ter parceiros que tenham conhecimento legítimo da causa, como é o caso do Fundo Baobá para Equidade Racial, primeiro e único fundo dedicado exclusivamente à promoção da equidade racial para a população negra no Brasil, é fundamental e faz toda a diferença, desde o desenho do projeto até a execução. Com essa parceria, temos certeza de que estamos sendo orientados para atingir os resultados esperados para o enfrentamento ao racismo e promoção da justiça social que o nosso país tanto precisa.” 

Para Patrícia Zebele,  o Edital Negros, Negócios e Alimentação é um projeto que atende todas as expectativas da General Mills, levando em consideração as suas atuais propostas de impacto social, e mesmo ele sendo realizado exclusivamente na Região Metropolitana de Recife, a expectativa é,  futuramente,  expandir o programa para outras localidades do Brasil. 

Fundo Baobá, em parceria com a General Mills, lança edital de alimentação na Região Metropolitana de Recife

Fundo Baobá, em parceria com a General Mills, lança edital de apoio a empreendedores(as) negros(as) do ramo da alimentação na Região Metropolitana do Recife


Para as pessoas negras que empreendem, o ramo alimentício está entre as 10 áreas de maior presença no mercado. Entretanto, com a crise econômica agravada pela pandemia do COVID-19, muitos pontos de venda fixos foram impactados negativamente, em especial, os negócios cujos donos eram mulheres.

Pensando em contribuir na recuperação econômica desses negócios e promover aos empreendedores e empreendedoras negros(as) a ampliação de suas capacidades de planejar, fazer gestão, inovar, ampliar ou estabelecer uma infraestrutura mínima para sustentabilidade do seu negócio, o Fundo Baobá para Equidade Racial, com o apoio da General Mills, empresa global de alimentos dona de marcas como Yoki, Kitano e Häagen-Dazs no país, promove o edital Negros, Negócios e Alimentação, uma iniciativa que vai apoiar 12 (doze) empreendimentos negros do ramo da alimentação de consumo imediato, formalmente instalados há 2 anos ou mais na Região Metropolitana de Recife. O edital contempla microempresas, microempresas individuais e empresas de pequeno porte.

As(os) empreendedores(as)  selecionadas(os) receberão um aporte financeiro de R$ 30.000 (trinta mil reais), além de assessoria e suporte técnico, e terão 09 (nove) meses para executar os seus projetos  e apresentar a prestação de contas final.

Serão priorizadas propostas que envolvam negócios negros situados em Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Cabo de Santo Agostinho e Camaragibe, dado que essas cidades concentram 90% dos negócios deste setor. Também serão propostas apresentadas por mulheres negras cis ou trans e de empreendedores(as) negros(as) que nunca foram apoiadas(os) pelo Fundo Baobá para Equidade Racial.

O objetivo da General Mills no apoio ao projeto é criar condições para que os empreendedores escolhidos conheçam a fundo os seus negócios e as suas capacidades a fim de gerar um impacto positivo em toda a comunidade, a partir da expansão dos seus empreendimentos e para que sejam, num futuro próximo, geradores de novos empregos por meio da ampliação dos serviços, aumento das vendas e crescimento de antigas e novas relações de negócios. Além disso, com a iniciativa, a empresa tem o intuito de fortalecer e ampliar a sua jornada de diversidade e inclusão étnico-racial no Brasil. 

Inscrições

As inscrições para o edital Negros, Negócios e Alimentação estarão disponíveis a partir do dia 18 de novembro e vão até 15 de dezembro. As(os)  interessadas devem preencher  um formulário eletrônico disponível exclusivamente neste link.  

Vale lembrar que o processo de seleção contará com três etapas eliminatórias. O resultado final será divulgado no dia 18 de fevereiro de 2022, no site oficial do Fundo Baobá.

Para entender melhor os critérios de elegibilidade do programa, basta acessar o edital através deste link. 

Realizadores

Criado em 2011, o Fundo Baobá para Equidade Racial é o primeiro e único fundo dedicado, exclusivamente, para a promoção da equidade racial para a população negra no Brasil. Orientado pelos princípios de ética, transparência e gestão, mobiliza recursos financeiros e humanos, dentro e fora do país, e investe em iniciativas da sociedade civil negra para o enfrentamento ao racismo e promoção da justiça social.

A General Mills é uma empresa líder global em alimentos e trabalha “fazendo os alimentos que o mundo ama”. Com sede em Minneapolis, Minnesota, EUA, a companhia chegou ao Brasil em 1997. Em novembro de 2020, assumiu publicamente o compromisso de ser um instrumento importante de mudança promovendo iniciativas práticas para equidade racial. Ao reconhecer que o racismo deixa marcas todos os dias em diversas sociedades, há séculos, a empresa se mobiliza e busca contribuir para os avanços em políticas de inclusão e, sobretudo, de preservação da vida de pessoas negras.

Serviço

O quê? Lançamento do edital Negros, Negócios e Alimentação

Período: 18 de novembro a 15 de dezembro

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER

Público-alvo: empreendedoras(es) negras(os) da área de alimentação de pronto consumo da região metropolitana do recife com registro formal até 2019.